FANDOM


Astreia2

O Retorno de Astreia, de Salvator Rosa (1615-1673)

Astreia1

Astreia deixa a Terra, de Salvator Rosa (1615-1673)

Virgo Hevelius

Constelação da Virgem na Uranografia de Johannes Hevelius (1690)

Na mitologia grega, Astreia (do grego Ἀστραῖα, Astraia, "Estelar") era uma deusa da justiça, inocência e pureza, associada à constelação da Virgem. Segundo os Fenômenos de Arato e a Astronômica de Higino, era filha de Astreu e Eos. Higino também a identifica com Dike, deusa da justiça, filha de Zeus e Têmis.

Etimologia Editar

Ἀστραῖα, Astraia, é o adjetivo feminino substantivado ἁστραῖος, astraios, derivado de ἁστήρ, astêr, "astro". É mais encontrado no plural com valor de coletivo, ἄστρα, ástra, "astros, constelações". O singular ἄστρον não aparece em Homero e é raro em grego clássico. O elemento radical *ster é atestado em céltico, germânico e tocariano e o elemento *stel o é em avéstico, sânscrito e latim, como stella, "estrela" ou "estrela cadente".

Mitos Editar

  • Segundo Arato e Ovídio, Astreia, enviada como representante dos deuses aos mortais na Idade de Ouro, com eles permaneceu até a Terceira Idade, a Idade do Bronze (em Os Trabalhos e os Dias de Hesíodo, isso se dá com Nêmesis). Fugindo da maldade da humanidade, ela subiu aos céus e transformou-se na constelação da Virgem.
  • Havia a esperança do retorno de Astreia e da Idade de Ouro, como indica uma frase da IV Écloga de Virgílio: Iam redit et virgo, redeunt Saturnia Regna (Eis que retorna também a Virgem; está de volta o reino de Saturno [Cronos].
  • Na Dionisíaca de Nonnus, a virgem Astreia, nutriz de todo o universo, senhora da Idade de Ouro, recebeu Béroe [a deusa da cidade de Beirute, famosa por seus tribunais] de sua mãe [Afrodite] nos seus braços, rindo, ainda um bebê, e alimentou-a em seu peito enquanto ela balbuciava sábias palavras da lei. Com seu leite virginal, ela fez rios de leis correrem para os lábios do bebê, e pingou na boca da menina o doce produto da abelha ática; ela espremeu o trabalho da abelha de muitas células, e misturou o favo loquaz em uma sábia taça. Se a menina com sede pedia algo de beber, ela dava a água falante de Apolo pítico, ou a água do Ilissos, que é inspirado na musa ática piério quando a as brisas piérias de Febo batem nas suas margens. Ela tomou das estrelas a dourada espiga de trigo [ou seja, a estrela Spica que a constelação da Virgem tem nas mãos] e a trançou em um colar que pôs em no pescoço da menina.

Astreia na Renascença Editar

Durante o Renascimento europeu, Astreia foi associada ao espírito da época, de renovação geral da cultura. Na Inglaterra, foi poeticamente identificada na literatura com a figura e o papel da rainha Elizabeth I, como rainha virgem reinando sobre uma nova Idade de Ouro. Na Espanha, foi frequentemente identificada com o reinado de Filipe IV. Uma peça do conte de Villamediana e treze dramas de Calderón de la Barca introduzem um personagem chamado Astreia no primeiro plano de questões políticas e astrológicas.

Referências Editar

  • Junito de Souza Brandão, Dicionário Mítico-Etimológico da Mitologia Grega. Petrópolis: Vozes, 2000.
  • Theoi: Astraea [1]
  • Wikipedia (em inglês): Astraea (mythology) [2]

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.