Wikia

Fantastipedia

Sirenas

Discussão0
829 pages em
Este wiki
Ulysses and the Sirens
Odisseu e as Sereias, John William Waterhouse (1891)
IctoonAdicionada por Ictoon

Sirenas, sirenes ou sereias (Σειρήν, Seirến, em grego, sirens, em inglês) são seres da mitologia grega descritos como parte mulher, parte pássaro. O grego Σειρήν pode estar relacionado ao proto-indo-europeu *twer-, "encadear", presente na palavra grega seirá, "liame", "corda", "laço", "armadilha" - seria aquela que encadeia, atrai os homens, principalmente no mar.

Durante a Idade Média, a evolução do mito a transformou e mulheres-peixe e lhe deu outras características, mas este verbete trata apenas da concepção grega. Para a concepção medieval e moderna, veja sereias.

Conforme a versão, as sirenas são ditas filhas do deus-rio Aquelôo e da musa Melpômene, ou de Aquelôo e Estérope, ou da ninfa Fórcis e do monstro marinho Ceto, ou de Eagro e da musa Calíope.

Há duas versões sobre sua origem:

  • Eram belas jovens do séquito de Coré-Perséfone. Quando Hades raptou Coré, elas suplicaram aos deuses que lhes concedessem asas para procurá-la na terra, no cé e no mar. Deméter, irritada por não terem impedido o rapto da filha, as transformou em almas-pássaros.
  • Afrodite as transformou em aves por elas desprezarem os prazeres do amor, tornando-as frígidas da cintura para baixo. Desejavam o prazer, mas, não podendo usufruí-lo, atraíam e prendiam os homens para devorá-los [1].

Mais tarde, elas desafiaram as Musas, que venceram e exigiram uma coroa feita com as plumas das sirenas. Retiraram-se então para as costas do sul da Itália, perto dos estreitos onde viviam Caríbdis e Cila. Encantavam os marinheiros com sua música harmoniosa, sentadas em uma pradaria sobre a ilha de Antemoessa, junto a uma pilha de esqueletos humanos e corpos em putrefação. Elas não os devoravam, deixavam isso a outras aves que as acompanhavam.

Atraíam os tripulantes dos navios que passavam por ali e os navios, abandonados, colidiam com os rochedos e afundavam. Odisseu escapou de seu encanto colocando cera nos ouvidos dos seus marinheiros e amarrando-se ao mastro para poder ouvi-las sem atirar-se n'água para alcançá-las.

Segundo a versão mais antiga, eram duas:

  • Lígia (A Melodiosa)
  • Partênope (A Aparência de Jovem)

Mais tarde, foi acrescentado um terceiro nome:

  • Leucósia (A Branca)

Dizia-se então que Partênope dedilhava a lira, Leucósia cantava e Lígia tocava flauta [2].

Uma versã do mito diz que as sereias deixariam de viver se alguém escapasse a seu encanto. Com o truque de Odisseu, atiraram-se ao mar e transformaram-se nas ilhas Sirenusas, hoje ilhas de Galli, ao norte do golfo de Pestum, nas costas da Campânia. O corpo de uma delas, Partênope, foi lançado à costa, onde lhe ergueram um túmulo. Lá se construiu, mais tarde, a cidade de Nápoles, também chamada Partênope [3].

SireneMortuaria
Estátua funerária de sereia ou sirena, Atenas (370 a.C.)
IctoonAdicionada por Ictoon

Outros nomes de sirenas ou sereias citados na literatura clássica são:

  • Aglaófone (A Bela Voz)
  • Aglaope (A Bela Aparência)
  • Himéropa (A Doce)
  • Pisínoe (A Persuasiva)
  • Diopátre (A Divina)
  • Telxiépie/Telxíope (A Encantadora)
  • Thelxíno (A Perturbadora)
  • Molpe (O Estranho Canto)
  • Raidné (O Progresso)
  • Thysa (O Frênesi)

Em fins do século V a.C., as sirenas substituíram as efígies tradicionais das Esfinges nas lápides funerárias, por possuírem o dom da música e a faculdade de tocar flauta, indispensáveis nos rituais das lamentações pelos mortos.

Referências Editar

  1. Junito de Souza Brandão, Dicionário Mítico-Etimológico da Mitologia Grega, Vozes, Petrópolis 2000
  2. Junito de Souza Brandão, Dicionário Mítico-Etimológico da Mitologia Grega, Vozes, Petrópolis 2000
  3. Tassilo Orpheu Spalding, Dicionário da Mitologia Greco-Latina, Itatiaia, 1965

Ver também Editar

Alkonost

Harpias

Sereias

Rede da Wikia

Wiki Aleatória